[Outbounders] Entrevista: Pedro Renan
Gestão

[Outbounders] Entrevista: Pedro Renan

O Pedro Renan é CMO da We Do Logos e, mais do que cliente, um parceiro aqui da Outbound Marketing. Os resultados que está alcançando com o seu time, mesmo em meio à crise, estão dando o que falar.

Além disso, ele é fissurado em futebol (acompanha de perto 6 ligas diferentes), também é viciado em séries (normalmente assiste 8 ao mesmo tempo), gosta de ler, fazer esportes radicais, viajar, café e cervejas especiais. Seu filme preferido é Fight Club – I Know this because Tyler knows this.

Sim. Ainda sobra tempo para trabalhar e ele faz isso em média durante 15 horas por dia (afinal dormir é só quando realmente dá tédio). Trabalha com marketing digital e é fascinado por Inbound Marketing. E fala bastante sobre isso no seu blog pessoal: pedrorenan.com.br (ainda sobra tempo de vez em quando de escrever). =P


 

Pedro, quando você fundou a Logovia, sua especialidade era finanças, certo? Como foi essa passagem para o Marketing, de vez, após a fusão com a We Do Logos?

Correto. Fiz administração e em todas as empresas que trabalhei, transitei entre a área financeira e/ou contábil. Era uma parte bem númerica e analítica.

A passagem para o marketing ocorreu em setembro de 2015 quando tivemos que fazer uma segunda reorganização de pessoas na We do Logos após a fusão com a Logovia. Estávamos trabalhando com a metodologia OKR e uma das grandes necessidades do marketing era ter uma visão mais lógica e analítica.

Então, devido ao meu background passado, decidimos entre os sócios que poderia ser uma boa aposta e me deram 3 meses para entregar resultado e provar que o “data driven” funcionaria.

Assumir um desafio tão grande não é fácil. Como você se preparou para controlar a situação e conseguir os resultados que desejava?

Sem dúvida não foi e não é fácil. Entretanto, sempre na minha trajetória de empreendedor procurei me colocar em situações constantes de desconforto e essa era mais uma delas. E nada me move e me motiva mais do que aceitar desafios que não sou preparado para executar, pois assim me movo infinitamente mais rápido na intenção de chegar minimamente no nível de execucação necessária para a tarefa.

Sabia que minha parte analítica era razoável e teria uma curva de aprendizado menor, porém minha parte criativa era ruim e teria uma curva maior. Acredito muito que números precisam de criatividade e vice versa. De resto é loucura e devaneio.

Preocupado com isso tudo e sabendo que meu prazo para resultados era curto, que procurei suprir minha parte mais deficiente contratando a Outbound Marketing para ajudar na parte criativa e de planejamento de estratégias e comecei a estudar “as hard as possible” para evoluir minha parte analítica/criativa.

Além disso tentei me conectar ao máximo com pessoas infinitamente melhores que eu, pois é mais rápido, fácil e menos doloroso aprender com o erro dos outros.

Qual é a sua dica para quem também precisa aprender em tão pouco tempo?

A dica que dou, na verdade, são 3:

1) Seja humilde (primeiro para reconhecer que você precisa evoluir e depois para pedir ajuda a outras pessoas)

2) Estude MUITO (quando você começar a falar com outras pessoas, você verá o quanto você está longe delas e o quanto precisa estudar e se dedicar para aumentar o seu nível)

3) Tenha foco (justamente pelas outras duas dicas, você terá muito conteúdo e ações para fazer, então precisa decidir o que priorizar. O que faço são ciclos de estudos baseados nas necessidades da empresa. Se temos que melhorar e-mail marketing estudo sobre o tema, se precisamos melhorar mídias sociais, estudo sobre o tema etc. etc. etc.)

E quais são os materiais que você considera referência para você na área de Marketing?

*Livros

* Blogs

* Videocasts

E profissionais? Em quem você busca se espelhar ou aprender mais?

Os profissionais que me espelho estão diretamente ligados aos blogs e empresas que citei acima. Tem muita gente que me ajuda e que sou muito grato e é complicado citar todos. Também tenho outras influências como Jobs, Eminem, Elon Musk, Messi etc.

O país passa por um cenário difícil em 2016. Como você enxerga esse cenário para os profissionais de marketing e vendas? Qual sua dica para eles?

Sem querer ser presunçoso ou pedante, mas em janeiro tivemos o melhor mês de vendas da história da We do Logos e em fevereiro batemos janeiro em 10% tendo o melhor mês de vendas e também de lucro líquido positivo da história. Isso quer dizer que somos excepcionais? De forma alguma. Quer apenas dizer que nos preparamos para isso.

O cenário é justamente de inovação e mudança. Não adianta fazer marketing como em 2010. Não adianta querer vender como em 2012. Os tempos mudaram, os consumidores estão mais inteligentes, as informações chegam mais rápido e temos um público extremamente exigente e sedento por atenção, conhecimento e bom atendimento.

Então, a dica é entender como essas mudanças afetam o seu business. E como você muda junto e aproveita a onda. Centenas de empresas estão quebrando, o país está em colapso, mas ainda existem empresas crescendo, lucrando e contratando. Então, procure alguma oportunidade disfarçada.

O que você prefere (pode ser sincero): Inbound ou Outbound?

Eu prefiro ganhar mais dinheiro do que perder. O que trouxer mais resultados. Don’t quote me on that. 😉

Recentemente, você lançou um blog pessoal onde compartilha as principais conquistas e aprendizados na área. O que te motivou a fazer isso? Como está sendo o feedback?

O que me motivou foi a sensação de give back e da escassez de conteúdo similar no Brasil. Eu estava aprendendo tanto com tanta gente e os resultados estavam vindo através de dicas e conversas que me senti na obrigação de também compartilhar um pouco do meu aprendizado. E o outro ponto é que grande parte do meu estudo (blogs, sites, livros etc.) são em inglês. Hoje o Brasil carece bastante de blogs que tratem de assuntos avançados e essa foi minha proposta.

Claramente não tenho um nível tão avançado quanto os blogs que dei como sugestão, porém como mencionei no começo do texto, amo desafios aos quais não estou preparado ainda para assumir. Então, resolvi fazer o blog com um conteúdo extremamente data driven, focado em experiência prática e resultados concretos. Tudo documentado e provado. O que deu certo e errado.

O feedback tem sido fenomenal. Realmente não esperava tanta repercussão. Pode parecer “puxa saquismo”, mas é muito gratificante quando você vê pessoas que você admira comentando no seu blog, compartilhando seu texto etc. É quando você vê que está indo em uma trilha correta.

Qual o planejamento do Marketing e Vendas da WDL em 2016? As expectativas estão altas? O que o time está fazendo para alcançar os melhores resultados?

As expectativas estão altíssimas. Como mencionei, fevereiro, mesmo com o carnaval, foi o melhor mês da nossa história, então estamos mirando muito alto esse ano.

Marketing está cada vez mais focado na produção de conteúdo, nutrição de usuário, lançamento de ferramentas e ações em co-marketing. Depois que mudamos nossa estratégia para educação e não venda forçada, tivemos um aumento absurdo no cadastro de leads, oportunidades, vendas, ticket médio etc. Nosso grande drive de crescimento vai ser sustentado pelo blog, que em fevereiro também já ultrapassou o site em quantidade de visitas únicas.

Para comportar toda essa máquina de leads e oportunidades, vendas também está se organizando para contratação, ampliação do time, treinamento etc. Com uma metodologia baseada no SPIN Selling estamos tratando de vários pontos para deixar toda a operação da chegada do lead a saída dele totalmente redonda (tudo isso com o apoio da Outbound, é claro!).

Outro ponto importante é que iremos criar clusters de vendas. Teremos pessoas verticalizadas para tratar de diferentes níveis de leads e assim teremos várias taxas de conversões previsíveis e conseguiremos escalar de maneira menos tortuosa.

O que você pode compartilhar com a gente que já testou e deu certo em 2016 (uma boa prática, assim como você tem feito nos posts e que seja fácil de começar)?

Posso citar duas práticas simples e que trouxeram grandes resultados:

1) Segmentação de e-mail de promoção (Sim. Não segmentávamos. Sim. Quase nenhuma empresa segmenta).

Enviávamos antes e-mails com 10% de desconto, por exemplo, para a base inteira independente do produto escolhido e do estágio do funil.

Hoje estamos enviando segmentado por produto e por estágio. Ex: se ele fez um pedido para comprar um logotipo e não pagou, enviamos um e-mail falando especificamente de logo. E assim para todos os nossos produtos. O próximo nível vai ser a segmentação por segmento. Vamos enviar o desconto para logo para escritório de advocacia, por exemplo.

2) Paramos de dar cupons de desconto

Baseado em um aprendizado do livro Invisible Selling Machine e também no curso de vendas do Pipedrive que fiz, eles falam bastante que seu único objetivo com um e-mail é que o usuário responda esse e-mail. Então, ao invés de mandar um e-mail gigante e cheio de fotos com cupons ou páginas de desconto, mandamos apenas um e-mail com uma linha dizendo que temos uma condição especial para ele e que basta ele entrar em contato com a gente.

Essas duas ações tiveram um retorno absurdo de vendas e de performance comparado ao jeito anterior de se fazer. Além de um engajamento muito maior da base. Claramente não é aplicável a qualquer modelo de negócio, mas tudo se adapta e se testa! 😉

Podemos esperar mais cases sensacionais como os que você produziu até agora durante o ano? (é a deixa para colocar os links de todos aqui e direcionar o tráfego da galera).

Com certeza! Vou continuar produzindo pelo menos um conteúdo novo por mês, pois como falei o retorno foi bem positivo e ainda temos inúmeros cases de sucesso e insucesso dentro da We do Logos que gostaríamos de compartilhar. Entretanto, dia 22/03 vou ter uma surpresa enorme e um super lançamento. Não posso contar o que é, mas basta se cadastrar no blog para receber minha news que você ficará sabendo no dia! 😉 Abaixo meus principais conteúdos postados:

Para quem está precisando e ainda tem dúvidas sobre o impacto de um bom design para a marca em Marketing e Vendas, o que você recomendaria?

Acho que sou suspeito para falar, uma vez que sou fundador de uma empresa de design. =P Então, gostaria de convidar a todos para conferir o super case de sucesso do Point do Macarrão, uma empresa que fez toda a identidade visual na We do Logos e cresceu mais de 80% em vendas: 

O vídeo fala por si só o resultado de investir em design!

Por fim, como cliente e parceiro da Outbound Marketing, como você recomendaria nossa consultoria para quem está lendo o blog e não sabe se está na hora de começar?

Se você não sabe se está na hora de começar, então tenha certeza que já passou da hora de começar. E você está atrasado.

E, se assim como eu, você gosta de resultados, você gosta de trabalhar com os melhores, gosta de aprender, de bater meta e de ver sua empresa prosperar, então você deve contratar a Outbound para te ajudar. E se você se perguntar: será que eles são bons para mim ou para meu mercado ou para o tamanho da minha empresa, saiba que a resposta é sim para tudo.


E aí, curtiu a entrevista?

Se você tiver a indicação de um profissional fora de série em Marketing ou Vendas para ler mais, é só comentar e fazer seu pedido aqui embaixo!

Banner Ebook Case We Do Logos