marketing: ninguém mais presta atenção?
Marketing

Por que ninguém presta atenção no seu marketing

Você já excluiu um monte de emails impessoais da sua caixa de entrada? Já ignora quase todos os anúncios, mesmo que nativos, das redes sociais? Qual foi o último comercial que você viu no YouTube (assim, daqueles que você poderia pular)? Uma marca saturar sua exposição para o público é um perigo real para uma estratégia de marketing, seja ela inbound, outbound, tradicional ou digital.

Tenho certeza que alguma dessas coisas já aconteceu com você. No seu email, no seu Facebook, no seu YouTube. (Comigo, a última foi no Spotify. Finalmente assinei o serviço, somente para me livrar das propagandas.) Essa sensação de estar cansado das propagandas, de ignorá-las e sequer prestar atenção – mesmo em algo que poderia ser útil – acontece com todos e como disse ali em cima, tanto no mundo online quanto no offline.

Você te dar um exemplo: Eu assinei uma newsletter mensal. Eu estava pensando e decidi que queria conhecer um pouco mais sobre decoração de ambientes pequenos. (Sim, eu curto ambientes bem decorados e pensados e adoro ler sobre isso.) Então busquei alguns sites especializados, preenchi o formulário e recebi o famoso email de boas-vindas. Tudo bem.

Aí na semana seguinte, recebi um email intitulado: “Conheça nossas últimas contratações”. Sim, um email falando sobre os mais recentes funcionários da empresa. Tenho certeza que isso é importante para alguém, mas para mim que tinha acabado de me inscrever na newsletter isso não fazia sentido algum. Eu pouco me importava. Portanto, primeiro email, direto na lixeira. Sabe aquela máxima “a primeira impressão é a que fica?” Pois é.

Como fazer com que as pessoas cansem de sua marca

Não é só o valor da mensagem que está sendo enviada, mas também a frequência. Não adianta você só mandar emails com conteúdo de qualidade e promoções super interessantes se fizer isso 3 vezes por dia. Por mais que as pessoas se mostrem interessadas, se você abusar da boa vontade delas, elas começarão a deletar seus emails assim que eles chegarem na caixa de entrada delas. Sem sequer olhá-los! E, da última vez que eu verifiquei, isso era perder dinheiro. Tenho certeza que você consegue imaginar alguma situação da sua vida onde você passou por isso.

Muitas empresas tem problemas com isso. Eu me inscrevo com regularidade em newsletters e baixo materiais dos mais diversos para fazer parte de fluxos de nutrição. E por isso, posso garantir que muitas empresas não sabem gerenciar muito bem os contatos que têm. São muitos emails com novidades da companhia, novos funcionários, novas funcionalidades, artigos recém postados no blog e mais um mundo de outras coisas. Algumas dessas informações tenho certeza que são úteis e interessantes para mim, mas eu acabarei não vendo-as no meio de tanta coisa.

É possível ver a queda do engajamento e das taxas de abertura (e escutar que “o email está morto”) devido ao número excessivo de emails enviados. Esse é um grande erro que diversas empresas cometem, algumas delas das quais eu participei da criação da estratégia de marketing, e que eu quero te ajudar a evitar!

  • Muitas mensagens em uma só mídia

Apesar de meus exemplos serem só de emails, você pode expandi-los para, basicamente, todas as mídias em que você divulga sua empresa. As pessoas cansarão da sua marca se forem excessivamente expostas a ela. Quando começarem a ver a mesma mensagem, o mesmo nome, a mesma pessoa, de novo, de novo e de novo, esses esforços virarão plano de fundo. Aquele famoso papel de parede que ninguém lembra como é. É como se o cérebro filtrasse aquele mundo de informações. Ele começará a identificar a marca que aparece em excesso e jogá-la para o fundo, como se fosse sem importância.

  • A mensagem é sem valor ou infrequente

Mensagens sem valor falam por si só. Algo inútil será ignorado com muita facilidade. Então não ache que é só criar um conteúdo ou um anúncio qualquer e as pessoas lembrarão de sua marca para sempre. Talvez lembrarão, mas de uma forma BEM negativa.

E também não adianta mandar uma mensagem, densa, com conteúdo relevante ou promoções excelentes, a cada seis meses. Se uma exposição excessiva é ruim, não expôr também é! É preciso buscar aquela frequência ideal, fazer testes e não mandar poucas mensagens ou mensagens demais.

  • A frequência não pode ser definida pelo usuário

Cada pessoa tem uma demanda diferente. Tem gente que gosta de receber informações diariamente, tem gente (como eu) que prefere recebê-las mensalmente (afinal, mesmo que eu queira passar o dia lendo conteúdos e emails de outras empresas, ainda preciso trabalhar). Por isso ter uma forma do usuário ajustar a frequência das mensagens que ele recebe pode ser bem interessante.

Como não deixar que as pessoas cansem de sua marca

Vou te dar algumas soluções e sugestões de como não virar um plano de fundo e aumentar a efetividade das suas estratégias de marketing. Porém, falarei de cada possibilidade separadamente.

Email

Comece de forma simples e muito pessoal. O ideal seria que você enviasse cada email de cada contato manualmente. Mas sabemos que ninguém tem tempo para isso se deseja que a empresa cresça. Porém, as ferramentas de automação já permitem muitas personalizações. Use e abuse desse recurso. Por isso não use emails genéricos! Envie um email pessoal que crie um elo com a pessoa que está recebendo e que ela saiba que pode responder por ali se quiser. Por exemplo, diversos dos emails atualizados da Ingage saem do meu email. Eventualmente recebo um olá, um elogio ou uma crítica. O que é positivo e mostra que as pessoas estão abrindo e lendo o que eu estou enviando. Também não saia inventando demais e tentando criar mensagens mirabolantes.

Comece simples e depois faça muitos testes. A melhor forma de descobrir quais as mensagens mais efetivas é testando. Por isso acompanhe de perto suas métricas. Uma queda nas taxas de abertura pode mostrar que seu assunto está ruim. Os cliques nos links que você envia estão baixos? Hora de melhorar suas chamadas. E claro, tome muito cuidado. Ninguém quer ir parar na caixa de spam.

Blogs!

Vou começar com uma das dicas para os emails: faça muitos testes. Isso é uma verdade para quase tudo no marketing digital. Você não terá certeza absoluta do que sua audiência quer se você não apresentar diversas opções para eles. Por mais que um estilo de conteúdo performe bem, tente outros. Você poderá descobrir que um outro formato terá resultados ainda melhores.

Também analise as métricas com frequência. Saber se suas taxas de conversão estão boas, se o tempo médio gasto por página, como vai a taxa de rejeição, pode te dar uma direção de como você deve agir.

Você pode pensar que como profissional de marketing, seu trabalho é publicar artigos e materiais diariamente. Não é bem por aí. Seu trabalho é explorar ao máximo os resultados que essa estratégia oferece, obtendo os melhores números. E para isso é importante que as pessoas não se cansem de sua marca e continuem olhando tudo o que você produz.

Facebook, Twitter e outras redes sociais

Deixei as redes sociais por último pois a maioria das empresas acredita que é só sair publicando tudo que for possível todos os dias da semana e pronto. Não é por aí. Essas redes sociais tem algoritmos que penalizam postagens com um engajamento muito baixo. Se você postar diversas vezes e não obtiver engajamento algum, será progressivamente mais complicado atingir um grande número orgânico de pessoa.

Lembre-se que os usuários de redes sociais são muito sensíveis. Eles irão comentar esperando respostas e querem que as marcas reconheçam o que eles fizerem. Se ela não der atenção, vira plano de fundo. Então, planejar suas ações em redes sociais é especialmente importante.

Só para finalizar

Tornar seu marketing um “chato” é bem fácil e irá trazer resultados desastrosos para sua empresa. Por isso é importante tomar muito cuidado e prestar muita atenção em tudo o que está sendo feito. Aqui na Ingage, verificamos diariamente nossas métricas para não nos transformarmos no plano de fundo do email de alguém ou então sermos só mais um anúncio no Facebook. E na sua empresa, como vocês estão se portando?