Marketing

Storytelling – Como impulsionar a sua marca contando histórias

Com o fenômeno da tecnologia e o avanço dos meios de comunicação, vivemos em mundo cada vez mais conectado. Um mundo que gera cada vez mais informação e exige das pessoas, e do mercado, uma maior interação e conectividade.

Contudo, a onda de conteúdo e informação fizeram-nos mais seletivos em relação ao que queremos absorver. A boa e velha oferta e demanda, não é?

Aqui vão algumas estatísticas para os mais pragmáticos:

  • 79% das pessoas apenas “varrem a web” ao invés de ler palavra por palavra. Ninguém lê!
  • Comunicados de imprensa que contêm multimídia tem 77% mais resposta em comparação a lançamentos contendo apenas texto.
  • Posts de blogs com vídeos têm 3 vezes mais links do que posts com apenas texto.
  • Profissionais gastam 51% do seu tempo gerenciando informações ao invés de agir sobre elas.

Acredite, ainda existem mais dados que indicam essa mudança de comportamento. Você pode conferi-los e mais sobre o assunto nesse excelente infográfico sobre storytelling.

Ok, temos agora um maior empecilho para posicionar a nossa marca no mercado, visto a grande oferta que existe por parte dos concorrentes e outros produtos. Como se diferenciar? Como propulsionar uma ideia, um negócio, um produto?

É aí que entra o storytelling!

storytelling aprendendo

Contar uma história é a maneira mais antiga de transmitir conhecimento entre as gerações.  A nossa memória compila uma série de fotos que se amarram para formar uma narrativa. Basta parar pra pensar e conseguimos lembrar que as palestras mais marcantes que guardamos contam uma história, certo?

Com o intuito de marcar o interlocutor e prender a sua atenção, a técnica de storytelling vem sendo empregada com sucesso por empresas, tanto como forma de branding e inclusive como estratégia de venda.

Nothing sells products, services, and causes like a true story.

Como aplicar o storytelling à marca?

Como dito anteriormente, o storytelling mira criar uma conexão diferente com o interlocutor. Isso acontece de forma a promover diferentes sentimentos nas pessoas. A técnica apela para um lado mais sensível, um lado mais artístico e que remeta emoções.

Portanto, o storytelling deve usar e abusar de imagens, mídias e qualquer outro aparato que possa chamar a atenção do prospect. Assim como autores criam personagens memoráveis, você deve fazer o mesmo com a sua empresa.

Para fazer com que sua marca se destaque, pense nela como um personagem. Descreva sua empresa como algo único, com propósitos e valores – que indicam a personalidade do seu personagem. Torne a sua empresa o mais apresentável possível!

Lembre-se, uma boa história é autêntica, criativa, cria uma conexão emocional e pessoal, inspira ação e comunica-se diretamente com o interlocutor.

storytelling coca cola

A Coca-Cola é mundialmente reconhecida pelas suas publicidades e branding. Podemos reparar que muitas das suas ações visam a contar histórias, ou passar a imagem que o seu produto é um catalisador de histórias. Como assim?

Eu tive um professor de um curso de empreendedorismo que sempre falava da Coca-Cola. Ele dizia que a empresa se tornou um sucesso quando descobriu que seu principal produto não era o refrigerante.

“A Coca vende a sensação de estar se refrescando com uma bebida gelada e gostosa” – dizia o mestre. Essa é a chave do storytelling: Descobrir o por quê você vende o seu produto e explorar isso de forma comercial. Consegue visualizar a relação do storytelling com o branding da Coca-Cola agora?

People don’t buy what you do, they buy why you do it. – Simon Sinek

Exemplificando de forma prática uma das ações de publicidade da Coca-Cola, peguemos a campanha “Compartilhe uma coca” – aquela do nome na latinha. É um belo exemplo de storytelling, pois ele permite que a experiência ocorra chamando a nossa atenção para os nomes nas latas.

Ver os nossos nomes, ou os nomes daqueles que gostamos, refletido no produto instantaneamente ativa a nossa lembrança. Além disso, o call to action de “compartilhe uma coca” traz uma outra experiência comportamental para o consumidor, a de comprar um refrigerante para o amigo, ou até mesmo guardar a lata com o nome como forma de souvenir.

A Coca-Cola termina a sua mensagem dizendo que o sentimento de compartilhar é mais importante do que o item compartilhado. Genial!

storytelling porchat

Coca-Cola e o storytelling: Você já achou seu nome na latinha?

Boas práticas para se escrever uma boa história

Como contar histórias é uma prática milenar, que acompanha o homem desde os primórdios, existem alguns padrões e modelos que ajudam no desenvolvimento de uma boa história. São práticas literárias que podem ser seguidas por qualquer pessoa que deseja escrever.

O primeiro espécime de roteiro, o mais conhecido, é a jornada do herói, também chamado de monomito. Esse conceito apresenta uma sequência cíclica de fatos que desenvolvem empatia, por parte dos leitores, com o personagem principal (ou herói). Esse modelo foi concebido em 1949, após Joseph Campbell ter percebido esse padrão em narrativas famosas como as de Buddah, Cristo e Moisés.

Contudo, também é possível perceber o monomito em contextos atuais como o de Star Wars, Harry Potter, O Senhor dos Anéis, Matrix e muitas outras produções hollywoodianas.

A jornada do herói segue os seguintes passos:

  1. Mundo Comum – O mundo normal do herói antes da história começar.
  2. O Chamado da Aventura – Um problema se apresenta ao herói: um desafio ou a aventura.
  3. Reticência do Herói ou Recusa do Chamado – O herói recusa ou demora a aceitar o desafio ou aventura, geralmente porque tem medo.
  4. Encontro com o mentor ou Ajuda Sobrenatural – O herói encontra um mentor que o faz aceitar o chamado e o informa e treina para sua aventura.
  5. Cruzamento do Primeiro Portal – O herói abandona o mundo comum para entrar no mundo especial ou mágico.
  6. Provações, aliados e inimigos ou A Barriga da Baleia – O herói enfrenta testes, encontra aliados e enfrenta inimigos, de forma que aprende as regras do mundo especial.
  7. Aproximação – O herói tem êxitos durante as provações
  8. Provação difícil ou traumática – A maior crise da aventura, de vida ou morte.
  9. Recompensa – O herói enfrentou a morte, se sobrepõe ao seu medo e agora ganha uma recompensa (o elixir).
  10. O Caminho de Volta – O herói deve voltar para o mundo comum.
  11. Ressurreição do Herói – Outro teste no qual o herói enfrenta a morte, e deve usar tudo que foi aprendido.
  12. Regresso com o Elixir – O herói volta para casa com o “elixir” e o usa para ajudar todos no mundo comum.

Podemos enxergar claros exemplos dentro desse roteiro. O Harry Potter vive em um mundo comum e tem o seu chamado para a aventura no momento em que Hagrid vai ao seu encontro para lhe mostrar o universo dos bruxos.

storytelling hobbit

Um similar script ocorre também em “O Hobbit”: Bilbo recebendo o seu chamado para aventura!

O principal fator do storytelling é criar empatia com o interlocutor, por isso o processo da jornada do herói pode servir de inspiração para ótimas histórias!

A Pixar, empresa de animação digital norte-americana pertencente a The Walt Disney Company, também é um ótimo benchmark para escrever histórias. Eles compartilham um pouco do seu know-how nesse incrível slide!

storytelling pixar

Storytelling com os melhores no assunto: Aprenda com a Pixar!

Conclusão

Espero ter mostrado para vocês um pouquinho de storytelling e o papel que ele pode ter na influência da sua marca. Storytelling é uma ferramenta riquíssima que pode ser utilizada em amplos aspectos dentro de uma empresa, desde a formulação do branding, processo de vendas outbound e inbound a até algumas políticas de gestão de pessoas.

Por fim, gostaria de deixar com vocês um TED de uma palestra que assisti ao vivo que me marcou demais. Muito pelo fato do cara ter contado uma história incrível! Essa palestra é do Rafael Clemente – CEO e fundador da Elo Group – e nela ele conta um pouco sobre o caso da Vandal, um e-commerce de camisetas estampadas que tem uma história muito bacana para ser contada.

PS: Curtiu o texto? Achou as fotos divertidas? Compartilhe essa emoção com alguém, compartilhe esse texto! 🙂

glossário de vendas banner

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *