marketing viral
Marketing

Marketing Viral: o que o BomNegócio.com nos ensinou sobre Outbound

Quem nunca assistiu uma campanha de marketing que viralizou? Aos meus olhos, é a melhor forma possível de lançar e massificar um produto, afinal, rapidamente milhares de consumidores ficarão sabendo da existência da marca e poderão pelo menos comprar o que está sendo ofertado.

O problema de utilizar estratégias de marketing viral é que antigamente, isso dependia de altos investimentos e uma pitada grande de sorte. Toda a divulgação era feita em canais tradicionais, como TV e Rádios, que cá entre nós, não são os meios mais baratos que existem, sem contar a dificuldade para medir os resultados gerados. Somando isso ao cachê pago aos atores que estrelariam a peça, o marketing viral se distanciou de empresas PME e principalmente Startups, que não possuíam capacidade financeira para aportes desse nível.

Mas com o advento de canais como o Youtube, Instagram, Facebook e etc, passou a ser necessário apenas um pouco de criatividade e timing para realizar o lançamento perfeito. Vejamos o exemplo da Dubsmash. O Dubsmash é um aplicativo onde o usuário escolhe uma fala de um personagem qualquer, de filme, jogo, entre outros, e a dubla em vídeo. A ideia é muito simples mas ele viralizou a uma velocidade assustadora.

Com celebridades como Hugh Jackman e Cara Delevigne utilizando a plataforma simplesmente porque gostaram das funcionalidades e divulgando os vídeos no Instagram, foi apenas questão de tempo para grande parte dos usuários a utilizarem também (confesso que até hoje eu não baixei :P).

Mas é claro, existem críticas a essa estratégia. Wagner Martins, sócio da agência 301.yt, acredita que essa é uma tática que vive de exceções, o que não deixa de ser verdade. É difícil acreditar que os criadores do Dubsmash imaginavam que formadores de opinião começariam a usar seu app e ele se tornaria febre mundial.

Só para ter uma noção de como uma estratégia pautada em virais pode ser um fracasso, basta verificar que canais corporativos convertem menos assinantes do que produtores de conteúdo no Youtube. O Galo Frito por exemplo, possui mais de 5 milhões de assinantes a um baixíssimo custo de produção, enquanto a Nike, mesmo com altos investimentos, possui algo em torno de 190 mil.

Entretanto, se usado com sabedoria, o viral pode ajudar inclusive o time de Outbound.

Marketing Viral: o que essa estratégia influencia no Outbound

No início do blog, o Vinícius fez um artigo falando sobre Product Market Fit. Nele, é tratada a diferenciação que um produto pode ter para o usuário. Ele pode ser um nice to have ou um must have. Enquanto o nice to have é facilmente descartado em tempos de vacas magras, pois não é extremamente necessário para seu usuário, o must have dificilmente deixará de ser usado, mesmo em épocas de dificuldade. É só imaginar a seguinte situação: se a memória do seu celular estiver lotada, qual aplicativo você irá desinstalar, o WhatsApp ou o Dubsmash? Pergunta fácil de responder, não!? (a não ser, claro, que você ainda use SMS :P)

Mas qual é a influência do marketing viral no Outbound? Infelizmente, é muito difícil uma empresa possuir em sua base apenas produtos que são must have para seus usuários finais. Então, é necessário muita argumentação e força de marca para facilitar o esforço de vendas, afinal, você baixaria um aplicativo de dublagem de voz se ele não fosse febre mundial? Talvez sim, mas dificilmente teria ficando sabendo tão rápido ou mesmo teria baixado se não fosse a ampla divulgação do produto.

Além de tudo, o Marketing Viral é uma forma barata de realizar divulgação. Nós sabemos que não é possível prever quando uma campanha irá viralizar, mas um caso interessante para analisarmos é o do BomNegocio.com. Quem não se lembra da campanha com o Cumpadi Washington?

BomNegócio.com e Outbound: como o marketing viral facilita negociações

Existem várias fórmulas para viralizar uma campanha. Pode ser um vídeo tocante, como o feito pela seguradora MetLife Hong Kong:

Também pode seguir uma linha mais voltada para o humor, como o tiozão da Sukita:

E foi exatamente a pegada de humor que a BomNegócio.com escolheu. Particularmente, confesso que não conhecia o site antes das campanhas viralizarem. Imagino que a base de usuários tenha aumentado absurdamente depois do sucesso da estratégia. Mas o que isso influencia no Outbound?

Um fator simples: poder de barganha. Quando sua marca é conhecida e tem uma grande base de usuários, é muito mais fácil possuir cases de sucesso. O valor que seu produto gerou aos seus clientes já é conhecido, tornando mais fácil convencer outras pessoas a utilizá-lo.

Vender um produto ou marca desconhecida no Outbound é muito difícil, por mais que a solução vendida seja um must have. Em culturas que são fechadas à inovação (alô Uber e Netflix!), como a nossa, a tarefa se torna ainda mais árdua. Pensar em uma forma criativa de lançar ou divulgar um produto/serviço é essencial, ainda mais quando o que está sendo oferecido é disruptivo.

Inbound Marketing e Marketing Viral: como as duas estratégias trabalham juntas?

Desde o advento das redes sociais, a fórmula perfeita para lançar um produto se tornou ainda mais complexa. Se antes bastava criatividade e dinheiro para investir nos meios de comunicação de massa (TV e Rádio), agora passou a ser necessário produzir conteúdo pensando no público que utiliza esses novos canais.

No Facebook, Twitter e Instagram, é conhecido que quantos mais curtidas tiver uma publicação, maior o alcance final. Logo, ao invés de milhões em investimento em mídia paga, bastava conseguir os cliques certos para atingir um público gigantesco. O exemplo da campanha da MetLife Hong Kong é perfeito para ilustrar essa situação. Até no Brasil nós ficamos sabendo de uma seguradora asiática, que não precisou de enormes gastos, comparado ao que seria necessário antigamente, para ter o seu nome conhecido nos 4 cantos do planeta.

Essa lógica também funciona para o Inbound Marketing. Não importa se uma empresa produz conteúdo de qualidade e possui fluxos de nutrição bem montados. Se ela não consegue atingir todo o seu público alvo, todo o esforço é inócuo. Realizar  um bom lançamento e focar em campanhas criativas de marketing são um bom caminho inicial para alcançar um público maior, formar audiência e começar a trazer fluxo de visitantes e leads para o Inbound.

Viu que mesmo estratégias de marketing tradicional podem ser utilizadas para complementar as novas? A diferença de um bom gestor é saber aproveitar “antiguidades” para aumentar ainda mais o resultado de sua empresa/área.

Nem tudo que é velho é ruim

Infelizmente, muitos jovens empreendedores acabam esquecendo que não é porque algo é velho que deve ser descartado. Com algumas estratégias do Marketing Tradicional, em especial o Marketing Viral, é possível fazer analogia semelhante a do vinho. Com o advento das redes sociais, o Marketing Viral envelheceu e se tornou ainda mais “maduro” e passou a apresentar resultados melhores e mensuráveis.

Pode não parecer, mas o que queremos descrever nesse texto é que as inovações surgidas, como redes sociais e o maior alcance da internet, tornaram estratégias caras que eram pouco acessíveis à maior parte das empresas, algo alcançável. Com a possibilidade de atingir um público maior e consolidar a marca, vender ficou mais fácil e a tarefa do time de Outbound se torna mais simples. Em vez de precisar evangelizar o mercado, o foco é unicamente Prospecção e Vendas!

E a sua empresa, não sabe como unir estratégias novas às antigas? Conte com o nosso time de consultoria para te ajudar nessa missão!

indicadores_de_vendas