marketing invisível capa
Marketing

Marketing sem fazer marketing: conheça (e explore) as táticas invisíveis que todo mundo deixa de lado

Em quais destas ações de marketing a sua empresa investe?

  • Marketing de conteúdo;
  • SEO;
  • Redes sociais;
  • Email marketing.

Se você faz marketing digital há algum tempo, é possível que já use todas as opções acima, e ainda outras. E isso é ótimo.

Não dá para contar quantas empresas já multiplicaram suas receitas com estratégias como essas. Mas é um erro pensar em marketing como atividade de apenas uma equipe.

Está na hora das empresas irem além do convencional e enxergarem que há muito mais a ser feito para conquistar e reter clientes.

Em outras palavras, tudo que a sua empresa faz é marketing, quer você queira ou não.

Duvida?

Eu vou provar isso mostrando 6 formas invisíveis de marketing que você jamais pode se dar ao luxo de ignorar.

Também vou contar a estratégia do Basecamp para gerar milhões de dólares em receita anual sem fazer marketing.

Bônus exclusivo: baixe agora o estudo de caso com as táticas invisíveis de marketing que fizeram do Nubank uma das empresas mais amadas do Brasil + 3 lições práticas para você aplicar hoje mesmo.

Expanda sua mente para enxergar o verdadeiro marketing

Veja a definição de marketing por parte de um dos mestres no assunto, Philip Kotler:

Marketing é a ciência e a arte de explorar, criar e entregar valor para satisfazer as necessidades de um mercado-alvo com lucro.

Marketing identifica necessidades e desejos não realizados. Ele define, mede e quantifica o tamanho do mercado identificado e o potencial de lucro.

Preste atenção a um trecho especial:

…criar e entregar valor para satisfazer as necessidades de um mercado-alvo.

Você acha justo dizer que toda a criação e entrega de valor de uma empresa podem se resumir apenas a um departamento?

É como um time de futebol. O ataque ganha mais destaque por criar as jogadas e fazer os gols, é natural. Mas se o conjunto todo não funcionar bem, o time não vence campeonato algum.

Então, é importante enxergar o papel de todas as áreas do seu negócio na construção e entrega de valor que termina na satisfação dos desejos e necessidades do seu público.

É isso que vamos fazer agora.

6 táticas invisíveis de marketing que todo mundo ignora (mas não deveria)

É fácil reconhecer que um blog post é uma ação de marketing. O mesmo se pode dizer sobre uma landing page, publicações nas redes sociais ou anúncios no Google.

Mas existem várias outras atividades com potencial de atrair (ou reter) clientes que podem passar despercebidas.

Veja 6 boas oportunidades de fortalecer sua marca:

Tática 1: Interação com clientes e parceiros

Toda interação da sua empresa com os clientes e parceiros, seja de forma direta ou indireta, passa uma mensagem clara.

Uma comunicação eficaz diz:

Estamos preparados para te atender bem!

Porém, interações ruins gritam:

É melhor você procurar outro lugar!

E isso não vale só para reuniões longas, mas também para interações mínimas, como quando um cliente pergunta algo simples por email ou numa rede social.

Para começar, o tempo de resposta interfere nas suas chances de venda.

De acordo com o InsideSales.com, 35 a 50% das vendas vão para quem responde primeiro ao interesse de um cliente.

Além disso, a maneira de conversar também é importante para ganhar a confiança e atrair o interesse. Vendedores que falam como robôs não fazem sucesso.

Tática 2: Qualidade dos produtos e serviços

Muita gente desconfia de marketing e vendas por ver como algumas empresas usam essas estratégias só para encobrir os defeitos de seus produtos.

Mas a verdade é que o produto fala por si. Se ele for bom, o caminho natural é que os clientes:

  • Recomendem a outros (o famoso marketing boca a boca);
  • E façam elogios para a própria empresa (que pode se transformar em prova social para atrair novos clientes).

Por outro lado, nem os melhores argumentos de vendas e a estratégia mais convincente do mercado vão salvar um produto ruim por muito tempo.

Por falar nisso, você se lembra da Tekpix, a câmera digital que inundava os canais de TV com comerciais sem fim? Vendeu muito, até que todo mundo viu o quanto o produto era ruim.

Tática 3: Identidade visual

As pessoas fazem julgamentos o tempo todo. Você sabe disso. E a identidade visual da sua empresa é alvo constante dessa avaliação criteriosa por parte de possíveis clientes.

Leva só um décimo de segundo para qualquer um de nós formar uma impressão sobre um desconhecido. Além disso, quando um possível cliente vê seu site pela primeira vez, leva só 0,05 segundos para formar uma opinião.

E sabe qual é o fator principal que leva a esses julgamentos instantâneos?

Pesquisadores britânicos descobriram que 94% das primeiras impressões de um site são relacionadas com o design.

A lição é clara: a sua identidade visual e o design do seu negócio, na internet e fora dele, podem gerar confiança ou desconfiança em possíveis clientes.

Um visual forte gera vendas, ao passo que um visual amador vai fazer as pessoas verem a sua empresa como amadora.

Tática 4: Gestão de problemas

Os problemas vão acontecer, é natural. Alguns deles podem ser resolvidos em particular com os envolvidos.

Mas outros acontecem de forma pública, por descuido ou simplesmente porque algum cliente insatisfeito expôs o assunto na internet. Nessas horas existem três cenários possíveis:

  • Perder muitos clientes durante e, principalmente, depois da crise;
  • Perder alguns clientes, mas controlar os danos de forma razoável;
  • Virar o jogo e transformar a crise em caso de sucesso, o que trará mais clientes ou ajudará a reter os que já estão com a empresa.

A essa altura você já percebeu como a gestão de problemas também é uma forma de marketing?

Independente de interagir com um só cliente de forma discreta ou lidar com um problema grande em público (talvez nas redes sociais ou em sites como o Reclame Aqui), a sua maneira de resolver a situação vai causar impacto.

Temos um exemplo bem recente de uma empresa que está fazendo um péssimo trabalho de gestão de problemas, não é mesmo? 😡

Essa é uma oportunidade de transformar clientes infelizes em defensores da sua marca ou de convencer observadores curiosos de que o seu negócio é confiável.

Tática 5: Ambiente interno

Tudo bem, até agora só falamos de situações que envolvem contato direto com o público. Mas você achou que era só isso?

Agora vamos abordar um fator ainda mais profundo que afeta a aquisição e retenção de clientes de forma indireta: o ambiente interno.

Qual sensação você espera que seus clientes tenham sobre seu negócio? Saiba que ela será reflexo do ambiente interno que você criar entre seus colaboradores.

Um ambiente tóxico, de grande pressão, pouca recompensa e baixa colaboração tem tudo para passar ao público uma imagem negativa.

Afinal, é provável que os profissionais trabalhem sem entusiasmo, cometam mais erros e descontem nos clientes a pressão sofrida internamente.

Isso é mais fácil de notar em estabelecimentos comerciais nos quais o contato com o público é próximo e constante, mas serve para qualquer tipo de empresa.

Ambiente interno ruim é um veneno que contamina todos os processos e mata o negócio de forma silenciosa.

E mesmo que os resultados imediatos continuem satisfatórios, não se engane: um ambiente assim é uma bomba-relógio. E, quando explodir, os danos podem ser irreparáveis.

Tática 6: Relação com a concorrência

Até a relação com seus concorrentes é um excelente canal de marketing para a sua empresa, e você tem duas opções para lidar com isso de forma magistral.

A primeira é apostar no marketing de guerrilha e provocar seus concorrentes diretos para atrair a atenção do público.

Não é à toa que marcas mundialmente famosas fazem isso. Basta uma busca rápida no Google para encontrar cases incríveis das maiores rivalidades de marketing, como:

  • Coca-Cola vs Pepsi;
  • Burger King vs McDonald’s;
  • Uber vs Lyft.

Essa é a ação de marketing de guerrilha mais recente do Burger King. Imperdível! 😂

Esse tipo de rivalidade ainda é pouco explorada no Brasil, e por isso mesmo pode ser um grande atrativo para o público (e para a mídia especializada no seu segmento de mercado).

Outra opção é partir para o caminho oposto da provocação, que é a união de forças.

Basta convidar seus concorrentes para se juntar contra um inimigo comum, provavelmente um problema que atrapalha muito seus clientes em potencial.

Essa abordagem traz a mesma exposição que o marketing de guerrilha e cria autoridade junto ao público, por tomar a iniciativa num projeto relevante.

Como o Basecamp gera mais de 25 milhões de dólares por ano sem fazer marketing

Se você estava esperando por um caso real de empresa que adota essa visão completa de marketing… Bem, eu tenho um para você.

Já ouviu falar sobre o Basecamp, um dos principais softwares de gerenciamento de projeto do mundo?

O impressionante é o que os fundadores, Jason Fried e David Heinemeier Hansson, conseguiram fazer com o negócio.

O Basecamp segue alguns princípios que o diferenciam da maioria, como:

  • Não ter um departamento de marketing, e muito menos um CMO ou cargo similar;
  • Não investir em anúncios nas redes sociais (já usaram, mas decidiram mudar de direção por questão de princípios);
  • Não aceitar investimento externo (prática comum e incentivada para empresas nos EUA, ainda mais de tecnologia);
  • Manter a equipe propositalmente pequena (atualmente são 53 pessoas).

Ainda assim, o negócio gera mais de 25 milhões de dólares por ano. Como? Por entender a lição que estou tentando explicar pra você durante todo este artigo…

Marketing está em tudo que a empresa faz. Ponto final.

Na prática, eles resolveram investir em coisas que nunca mudam, como oferecer um produto de máxima qualidade, prestar suporte incomparável, investir em design prático e dar ótimas condições de trabalho para os colaboradores.

É óbvio que eles ainda usam táticas conhecidas, como o marketing de conteúdo: eles já escreveram 3 livros, apresentam um podcast e possuem um blog muito famoso.

Mas o foco maior dos fundadores é em cuidar dos clientes atuais e deixá-los tão satisfeitos que divulguem a empresa por conta própria.

Até agora tem funcionado bem, já que o Basecamp tem mais de 100 mil clientes, e uma página com nada menos que 1000 depoimentos de pessoas satisfeitas (sim, MIL!) elogiando o sistema.

Como fazer marketing invisível na sua empresa?

Se você quer resultados como estes, não pode se limitar ao que todo mundo enxerga como marketing. Você terá muitas oportunidades se expandir sua visão, como o Basecamp fez.

Mas que tal ver um exemplo aqui do Brasil?

Eu elaborei um estudo de caso que revela as 3 táticas invisíveis de marketing que fizeram do Nubank uma das empresas mais amadas do Brasil.

De quebra, apresento no estudo 3 lições práticas que você pode aplicar hoje mesmo para ter resultados expressivos como estes.

Parece bom? Então baixe o estudo, de graça, agora mesmo!


Daniel Moraes, autor do artigo, produz conteúdo sobre marketing digital, vendas e transformação digital para blogs como Marketing de Conteúdo e Inteligência Rock Content, e também é fundador do Status: Livre.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *