Game of Thrones (Guerra dos Tronos) e vendas outbound
Gestão

O que o seu time de Outbound tem a ver com Game of Thrones?

Qualquer um que não tenha passado os últimos anos em uma bolha, já ouviu falar pelo menos uma vez da série Game of Thrones. Ela é exibida na HBO e baseada na série de livros “As cronicas do Fogo e Gelo”, do autor George R.R Martin, famoso por demorar milênios para lançar novos livro, o que preocupa vários fãs devido a sua saúde.

A série, dentre vários fatores, consegue nos trazer sempre fatos surpreendentes. O mais cômico é que, como já disse o Vinícius em uma conversa que tivemos, esta é a primeira vez que um filme/série pune os leitores com spoilers. Deve ser a primeira vez na história da humanidade que ocorre algo do tipo, o que para mim foi até bom, pois não havia lido os livros e até por isso não criei grandes expectativas em momento nenhum.

Mas agora falando sério, a melhor parte de Game of Thrones, além dos constantes “mind blowing moments” (momentos que superam qualquer expectativa) que sofremos, é a possibilidade de fazer analogia com várias outras situações do nosso cotidiano. Uma das vantagens da demora para lançar os novos capitulos do livro, é que o autor foca bastante na construção do caráter de seus personagens. Não existe um mocinho sequer que não possua várias falhas morais, além de vilões, que fora o Joffrey e Ramsay Snow, são até compreensíveis em alguns momentos.

Tendo isso em vista, vamos fazer o paralelo do perfil de alguns dos personagens principais com gestores de vendas, para contextualizar as falhas e acertos de cada um, caso trabalhassem em sua empresa (se bem que o RH que contratar alguém com o perfil do Joffrey possui sérios problemas). Com certeza você já se deparou com algum desses perfis nas empresas que trabalhou, desde o chefe político em excesso até o implacável que corre atrás de qualquer resultado, por mais impossível que seja de alcança-lo.

Jon Snow e a política em Outbound

Se existe alguém azarado na série é esse personagem. Além de ser filho bastardo do Ned Stark, ele decide se alistar na Patrulha da Noite, grupo que protege a fronteira norte de todo o continente de monstros e bárbaros, que na série são chamados de Selvagens. Chegando lá ele foi rapidamente hostilizado por todos, em alguns casos por vir de família nobre e por outro por ser filho ilegítimo. Já deu para perceber que a vida dele não seria muito fácil.

SPOILER ALERT

Para dificultar mais a vida dele, um de seus irmão ficou paraplégico, o pai foi decapitado, sua cidade foi tomada, outro irmão foi traído por aliados da família e foi morto em seu próprio casamento, uma de suas irmãs ficou a mercê do rei, um dos personagens mais sádicos da série, só perdendo para outro com que essa mesma irmã teve que casar no futuro… E apesar disso tudo, ele permaneceu firme no seu trabalho na patrulha da noite.

Pontos positivos

O paralelo que podemos fazer é: Toda empresa precisa de um gestor de vendas disposto a tomar pancadas o tempo todo. A área é uma das que mais sofre com turnover e além disso, é a responsável direta pela meta de receita. Qualquer tropeço ou sinal de fraqueza pode desmotivar todo o time e colocar tudo a perder.

Jon Snow em momento algum demonstrou fraqueza, fez de tudo para cumprir o seu dever. Desde se aliar com antigos inimigos quanto abrir mão de alguns aliados. Aí que entra um dos maiores erros que ele cometeu.

Pontos negativos

Quando se toma decisões difíceis como as que ele tomou, algo que o gestor de Outbound está sujeito o tempo todo, é comum que se colecione vários detratores! Até com certa ingenuidade para quem conseguiu se infiltrar no exército inimigo em outro momento da série, ele manteve confiança total em todos os membros do seu time, até mesmo aqueles que claramente o estavam sabotando.

É vital para qualquer gestor entender o perfil das pessoas que trabalham com ele. A maior falha de Jon foi achar que todos, de certa forma, entenderiam as decisões que ele tomou. Um bom gestor tem que saber a hora de descartar uma peça do time, antes que ele prejudique o resultado final.

Se algum dos colaboradores está desmotivado, o ideal é que você tire ele da sua equipe antes que ele comece a desmotivar também os outros membros. É claro que você não vai ser apunhalado por metade do seu time e deixado para morrer na neve, mas com certeza você acabará com alguma mancha em seu currículo!

Stannis e o resultado a qualquer custo

Stannis Baratheon certamente é o personagem mais implacável da série. O cara não aceita facilmente uma derrota e possui um senso moral extremista. Não importa se é aliado ou inimigo, erros não são perdoados.

Durante toda a série, ele até angariou a simpatia de alguns espectadores, afinal, ele sozinho, sem o suporte de muita gente correu atrás do Trono de Ferro o tempo todo! Fez pacto com uma feiticeira, se aliou a piratas e mesmo depois de ter metade da sua frota explodida pelo anão Tyrion Lannister, ele ainda não desistiu e tentou invadir a capital, e pasmem, quase conseguiu.

Depois de comer o pão que o diabo amassou, ele ainda conseguiu um empréstimo no maior banco do universo da série, contratou um exercito mercenário gigante e partiu novamente para o ataque, mas não sem antes ainda socorrer a Patrulha da Noite que estava passando por dificuldades, devido ao ataque em massa dos selvagens. O cara realmente quando tem um objetivo na cabeça, corre atrás até atingir, nesse momento comecei até a alimentar certa simpatia pelo personagem.

Pontos positivos

Qualquer gestor que se preze, quando não tem uma meta surreal em mãos, deve fazer o máximo para atingi-la, não importa quão tortuoso seja o caminho. Stannis não era um hábil orador, mas se cercou de conselheiros competentes. Davos, o seu subordinado mais próximo era encarregado da articulação política que o próprio Stannis fazia muito mal. Quando a situação estava muito ruim e era necessário alguma mandinga para dar a volta por cima, ele delegava o trabalho a sua feiticeira pessoal, Melisandre.

Ele tinha consciência de suas fraquezas e delegava os trabalhos em que não era bom para outras pessoas. É vital o gestor de Outbound ter consciência que ele não é capaz de abraçar o mundo. Sem dúvidas, é essencial para o sucesso de qualquer área, não só a comercial, que o trabalho seja delegado de forma funcional para todo o time.

Pontos fracos

Nem todo sacrifício é valido. Stannis conseguiu que metade do exército desertasse porque ele queimou a própria filha, com a promessa que com isso o frio que estava barrando o seu avanço iria diminuir e ele poderia retomar a sua campanha.

Em consequência disso, ele não teve condição alguma de ganhar das tropas opositoras e teve todo a sua tropa massacrado em combate. Não é sábio para nenhum gestor tomar decisões que soem muito mal aos olhos de seu time. Se ele assumir com a empresa uma meta surreal por exemplo, é natural que o seu time vai se desmotivar, com os talentos pedindo para ir embora e o resultado se tornando mais impossível ainda de ser atingido. Lembre-se novamente da frase, não adianta ficar bem com a diretoria de sua empresa se o seu time não te apoia, afinal, você depende deles para bater a sua meta.

Outro ponto é, na busca cega pelo poder, ele tomou atitudes que fizeram suas tropas perderem a fé nele. Quando um gestor de vendas queima alguém do seu time, jogando toda a culpa por um problema nas costas dele por exemplo, ele perderá toda a confiança de seus colaboradores e a partir daí, é questão de tempo para que a área comercial se torne pouco coesa.

Continuação

Concluímos assim que é necessário encontrar um equilíbrio entre a diplomacia e ser implacável em seus objetivos. Não adianta tentar ouvir a tudo e a todos, confiando cegamente em pessoas que podem ter vários motivos para não gostar de você, mas também não é muito sábio correr atrás de objetivos impossíveis e passar por cima dos seus subordinados o tempo todo.

Com certeza esses dois personagens teriam uma vida mais longa se soubessem ser razoáveis em suas ambições. Ser desconfiado não é um problema e saber que para tudo existe um limite também não é algo ruim. Alguns poucos pontos negativos no caráter e más decisões custaram a vida de ambos, e como o mercado é tão brutal quanto o autor da série (ou não), vale sempre estar antenado nas decisões que tomar para não correr o risco de perder uma chance de promoção ou até mesmo o emprego.

Quinta feira (25/06) finalizaremos essa breve série de posts comparando o perfil do gestor aos personagens Roose Bolton e Tyrion Lannister. Espero que tenham gostado, qualquer feedback podem enviar um email para marketing@outboundmarketing.com.br

Outbound Go > Comece Agora