Marketing

Seus amigos escrevem melhores emails que seu time de marketing

Semana passada eu li um texto sensacional do Sales Hacker sobre cold mail. Resumidamente, o autor fala que o segredo para melhorar seu reply rate é se inspirar nos emails que você troca com seus amigos, já que eles sempre conseguem resposta para suas propostas.

Assim que concluí a leitura, fiquei com uma dúvida na cabeça: será que isso se aplica à email marketing? No caso, em open e click rate?

Marketeira que sou, lógico que pensei em validar e escrever sobre isso aqui pro blog da OTB. Acontece que trocar email com os amigos pode ser uma realidade americana, mas, no Brasil, dificilmente alguém manda um email pra combinar um churrasco com a galera, né?

Sendo super sincera com você, nem eu nem ninguém aqui da OTB temos material para comparar. Trocamos pouquíssimos emails com nossos amigos, a grande maioria apenas para envio de arquivos.

E isso é uma realidade dos dias de hoje. Os jovens não usam mais email para se comunicar. O que não quer dizer de forma alguma que o email morreu, apenas que perdeu espaço para veículos mais rápidos. Não é à toa que empresas investem cada vez mais em Facebook,Twitter, Instagram, Snapchat…

Como boa millennial, todas essas ferramentas são presentes na minha rotina. Meus amigos usam o WhatsApp para comunicar tudo, da morte de um conhecido até a data de um casamento.

Quer um exemplo? Essa é uma mensagem que recebi de uma amiga recentemente, chamando todo mundo pra uma pizza na casa dela e de seu marido.

erros email marketing

Todos respondemos sim ao convite em menos de 20 minutos.

Agora compare com um email marketing que recebi recentemente:

erros-email-marketing

Esse é só um exemplo de email que vai parar na minha lixeira – isso se não for direto pro Spam.

Agora, uma pergunta: você consegue identificar o que me levou a dizer sim para minha amiga e ignorar esse email?

Bom, é exatamente isso que vou contar nesse texto! Mas antes, vamos conversar sobre os maiores erros em email marketing?

O que é Spam na era do WhatsApp

Todo mundo que tem um email sabe o que é spam e como ele é irritante. Tão irritante que você nem abre, só joga no lixo.

Então deixa eu te contar uma coisa que você talvez ainda não tenha percebido: existe spam no WhatsApp também! Ou você nunca recebeu aquelas correntes bobas no grupo da família? E aqueles textões de Feliz Natal-Revéillon-Dia Da Árvore ou uma data qualquer que são repassados sem a menor cerimônia?

Agora me responda com sinceridade: o que você faz com essas mensagens?

Eu ignoro completamente. Mas talvez você responda com uma palavra ou duas, apenas para não deixar a pessoa falando sozinha.

Meu ponto é: ninguém gosta dessas mensagens e elas não agregam nada a um relacionamento.

Quando aquele amigo de infância te manda um textão copiado, você não se engaja porque:

  1. Não é uma mensagem diretamente para você, sobre você ou sobre alguém que você conheça. Talvez nem seja uma mensagem dele. Ou seja, falta uma conexão pessoal.
  2. A mensagem não acrescenta ou muda nada na sua vida, não tem nenhuma proposta de valor.
  3. Não está claro o que você precisa fazer nem se precisa responder, porque o call to action é fraco ou inexistente.

E, não tem maneira fácil de dizer isso mas… é o mesmo que acontece com seu email marketing! Se suas taxas estão baixas, você está cometendo esses mesmos três erros.

Leia também: O melhor método para email marketing de resultados

Voltando ao email marketing que eu recebi e ignorei, dá para perceber claramente que é uma mensagem genérica que não acrescenta nada na minha vida mesmo que eu clique em todos os links.

Mas, da mesma forma que aprendemos o que não fazer com o WhatsApp, podemos aprender o que fazer.

Lembra daquele print que mostrei lá em cima? Pois agora eu vou destrinchá-lo para ajudar você a escrever melhores emails.

Criando uma conexão pessoal

Meus amigos não assinam as mensagens do WhatsApp, claro. Mas eu tenho o contato deles salvos e é óbvio que, se você recebe uma mensagem, conhece e tem convívio com quem a enviou, você vai abri-la.

Se você está sempre conversando com determinado amigo, ele pode mandar apenas um emoji. Você vai abrir e provavelmente responder, certo?

erros-email-marketing

Essa é uma mensagem que um dos meus melhores amigos sempre me manda. E eu respondo. Sempre.

Não tem como uma empresa competir com esse tipo de interação. Por isso, o papo aqui é sobre familiaridade. Se você não pode competir com as mensagens de pessoas do convívio do seu lead, tente recriá-las!

Como seu lead fala? Ele usa gírias? Ele prefere ir direto ao ponto ou gosta de render conversa? Ele gosta de piadas?  Você precisa saber disso para falar com ele. E todas essas informações você consegue fazendo testes simples.

O ponto é: não basta falar com ele no primeiro nome. Trate o lead como a pessoa que ele é e fale com ele como um conhecido falaria. 

Esse é o primeiro passo. O segundo é dar uma cara à seus emails.

Você sabe por que nossa newsletter é assinada pelo Vinícius da OTB?

Com certeza você conhece (e salva o contato de) várias pessoas como o João do trabalho, a Thaís da natação. Essas pessoas estão associadas a esses lugares, são parte do que eles são. Se o Luiz da academia é um chato, provavelmente você vai lembrar da academia como um ambiente de pessoas chatas.

Então, quando te apresentamos o Vinícius da OTB, você visualiza a OTB com base no que conhece dele. Ele se torna a persona OTB e as características que ele transmite são atribuídas à empresa também.

O Vinícius, nosso CEO, é direto, bem humorado e cheio das referências de coisas que ele viu na internet. É por isso que nossa newsletter é só texto corrido e sempre tem um tema ou um meme.

Associar a empresa a uma pessoa de carne e osso é uma ótima maneira de criar conexão pessoal. Afinal, pessoas querem conversar com pessoas, e não com empresas, certo?

Portanto, defina bem quem vai ser a persona da sua empresa. 

Transmitindo uma forte proposta de valor

Meus amigos amam se reunir para comer alguma bobagem, mas temos dificuldade de combinar a logística da coisa – onde vamos, o que vamos comer, em que dia. E encontrar fica ainda mais complicado quando um de nós não pode sair de casa por problemas de saúde, como era o caso nesse dia.

Mas um convite para encontrar que resolve todos nossos problemas costumeiros, traz uma opção de alimento que gostamos e ainda oferece a possibilidade de animar um amigo doente tem muito valor, concorda?

É por isso que, para produzir bons emails marketing, você deve compreender bem os interesses, motivações e problemas do seu lead. Isso funciona não só para gerar valor, como também é uma das melhores maneiras de criar conexão pessoal.

Com certeza, você tem um amigo que vê todos os filmes e é referência em cinema. Quando quer encontrá-lo, uma boa maneira é convidar para ver um filme novo, certo?

Aplique o mesmo raciocínio à suas mensagens. Seu lead baixou materiais sobre produção de conteúdo? Faça referência à esse interesse no próximo email que enviar e indique algum conteúdo que pode ajudá-lo a produzir conteúdos melhores.

Quando você tem uma proposta de valor clara e adequada aos interesses do lead, ele naturalmente vai reagir bem ao seu email. Além do que, isso cria a sensação de continuidade no contato entre vocês –  o que é fundamental para a construção de um bom relacionamento.

Montando um CTA que converte

Todo relacionamento saudável é uma situação de ganha-ganha. Não que você deva tirar vantagens de todo ser humano com quem se relaciona, mas é natural que escolhamos ficar perto de pessoas que vão nos proporcionar algo positivo – uma boa conversa, um bom abraço, uma boa refeição, etc.

Reveja o print de WhatsApp que usei de exemplo, lá no começo desse post. Repare no final do convite: “Vai ser divertido, nos veremos e daremos risadas. Que tal?”.

Além da forte proposta de valor que comentei acima – de finalmente conseguir encontrar para um lanchinho -, minha amiga reforçou tudo que ganharíamos respondendo sim ao convite.

Como recusaríamos esse convite se ele resolve todos os problemas que enfrentamos em nossos encontros e ainda nos traz vantagens? Não recusamos, é claro.

E o lead também não vai recusar seu convite para clicar em um link ou conferir uma oferta se você mostrar que ele só tem a ganhar.

Conclusão

Se você chegou até aqui, é uma prova de que está interessado em melhorar seus emails, certo?

Esse post tem apenas um propósito: mostrar que você só vai conseguir melhorar se tornando mais pessoal.

Em tempos em que todas as empresas trabalham com automação, o caminho para se diferenciar é ser mais humano.

Por fim, como dica bônus, tome cuidado com os templates. Apesar de querer consumir o máximo de informação em pouco tempo, as pessoas valorizam o minimalismo e objetividade.

É por isso que, hoje em dia, as mensagens que recebemos e enviamos para os amigos são simples, apenas texto ou um áudio ou vídeo gravado na hora. Então aquele templatezão cheio de imagens pode não ser uma boa ideia.

Como motivação, essa é uma das respostas que recebemos seguindo esses princípios no nosso fluxo de nutrição:

erros email marketing

Para receber respostas assim, é só seguir nossas dicas.

Se você está na dúvida se realmente precisa melhorar seus emails, esse ebook vai ajudar:

1 comment

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *