design thinking
Marketing

12 ferramentas do Design Thinking que irão transformar o seu mindset e facilitar sua rotina

O conceito de Design Thinking é amplo e envolve diversas etapas.

Muitas vezes, pela possibilidade de ser aplicado a negócios em diversas áreas de atuação e dimensões, fica confuso saber quais são as melhores técnicas e ferramentas que devem ser utilizadas para entregar um projeto realmente efetivo e de qualidade.

Para sanar essas dúvidas, nós preparamos este guia, que vai ajudá-lo a explorar as principais ferramentas do Design Thinking e transformar o seu mindset na rotina de trabalho – consequentemente, gerando soluções mais práticas e rentáveis aos seus clientes.

Etapa da Empatia

Como a etapa da empatia envolve o conhecimento sobre o cliente, seus problemas e necessidades, a técnica aplicada precisa de pesquisa e observação.

Tudo começa com uma reunião estratégica da equipe envolvida no projeto para definir os primeiros alinhamentos.

Essa fase exige entender o contexto em que o cliente está inserido, definir o escopo geral do projeto e estabelecer limites e objetivos.

Pesquisa exploratória

Ferramenta do Design Thinking que auxilia a equipe a compreender o contexto amplo do usuário. Através de entrevistas e observações, a equipe se familiariza com todas as pessoas envolvidas, as realidades existentes e as necessidades exigidas.

Pesquisa desk

Esta ferramenta pesquisa informações sobre o cliente em outras fontes que não sejam as pessoas.

A busca, feita na maioria dos casos através da internet, é desenvolvida com base em publicações que contenham dados relevantes para o andamento do projeto – e-books, livros, artigos, entrevistas impressas ou em vídeo, revistas etc.

Cadernos de sensibilização

Exigem mais criatividade e preparo para que funcionem de acordo com o esperado, mas a dedicação é válida.

Os cadernos de sensibilização são bastante úteis na fase da empatia e envolvem o desenvolvimento de atividades a serem preenchidas pelo usuário – relatos, colagens, fotografias, vídeos, entre outras.

O objetivo desta ferramenta de Design Thinking é conseguir entender o universo do cliente sem estar fisicamente presente.

A vantagem é que, mediante abordagem de assuntos mais delicados, o usuário se sente mais à vontade para revelar informações devido à distância geográfica do entrevistador.

Etapa da Definição

A etapa da definição no Design Thinking envolve a interpretação de todos os fatos adquiridos no processo de empatia. É nessa fase que a equipe se aprofunda nos dados obtidos através das entrevistas e pesquisas, a fim de definir uma rota a ser seguida.

Personas

Método que identifica arquétipos ou personagens a partir das informações e observações colhidas durante entrevistas e pesquisas.

Essa ferramenta é especialmente útil para reunir características significativas do grupo que, mais tarde, podem ser utilizadas para gerar e validar ideias em busca de soluções.

Mapa da empatia

Ferramenta de síntese do perfil do cliente, através de um diagrama dividido em seis áreas distintas.

  1. o que o cliente pensa e sente (desejos e objetivos);
  2. o que o cliente vê de possibilidades futuras (quais as opções);
  3. como o cliente se comporta (o que veste, faz e fala);
  4. o que o cliente absorve (quem/o quê o influencia);
  5. onde dói (obstáculos, erros e preocupações);
  6. quais são as metas de sucesso.

Blueprint

Uma representação visual de todo o funcionamento do negócio.

Essa é uma ferramenta perfeita para localizar possíveis pontos de melhoria e entender todos os processos envolvidos na rotina empresarial.

Etapa da Idealização

Tendo uma visão do perfil, dos objetivos e necessidades do cliente, chegou a hora de deixar as ideias fluírem. Essa é a etapa criativa, que tem como objetivo gerar possibilidades e encontrar soluções.

Brainstorming

design thinking brainstorming ideiais

Uma das ferramentas mais comumente utilizadas durante essa etapa do Design Thinking, por estimular o desenvolvimento de várias ideias em pouco tempo.

Aqui, a equipe envolvida no projeto é reunida e estimulada, através de atividades diversas, a pensar fora da caixa e buscar opções inovadoras para resolver o problema apresentado pelo cliente.

Bodystorming

Semelhante ao brainstorming, porém envolvendo sensações físicas e não apenas mentais. Em resumo, é colocar-se no lugar do cliente para sentir, na pele, as suas dificuldades.

Com o planejamento ideal, é possível utilizar artefatos e criar situações reais que ajudarão a equipe envolvida no projeto a compreender melhor os empecilhos e, possivelmente, encontrar uma solução.

Etapa dos Protótipos

A técnica desta etapa consiste em reunir todas as vivências anteriores e transformá-las em algo físico, tocável, que pode ser desde álbuns fotográficos e jogos, até maquetes e encenações.

Storyboard

Essa ferramenta é como uma história em quadrinhos e pode revelar, através de desenhos, colagens ou fotografias, o desenrolar de uma solução possível.

O interessante aqui, para obter um resultado mais preciso, é trabalhar um roteiro para a história e depois iniciar a criação de personagens, cenários e situações.

Maquetes

No Design Thinking, o visual é extremamente importante e, por isso, maquetes feitas com massa de modelar, lego ou papelão são muito bem aceitas e interpretadas pelos clientes.

São artefatos materiais que traduzem uma solução, situação ou personagem, envolvendo o usuário em uma experiência em tempo real, de forma a observar suas reações e validar seu entendimento.

Arte em papel

São representações gráficas, desenhos feitos a mão ou através de programas de computador, que mostram como seria a concepção de uma tela de aplicativo, cartaz, pôster ou embalagens.

Ferramenta bastante utilizada para soluções impressas ou digitais.

Google Blocks

Partindo para uma solução mais digital, o Google Blocks está em fase de experimentação e, por isso,  é ainda um pouco limitado.

A ferramenta, nada mais é, do que um construtor de objetos 3D através da realidade virtual. Em outras palavras, um campo de infinitas possibilidades.

Etapa dos Testes

Essa é a etapa do feedback do cliente depois de toda a apresentação realizada pela equipe envolvida no Design Thinking.

O que funcionou e o que pode ser melhorado? Como podemos refinar essa ideia ou remanejar essa solução?

A fase de testes utiliza as mesmas ferramentas da prototipagem – e depende delas para traçar uma conclusão.

Talvez a melhor técnica a se adotar durante essa etapa é a da observação (voltando lá na empatia): realmente enxergar o cliente através das suas reações, opiniões e interpretações quando colocado em contato com o protótipo criado.

Se você ainda tem dúvidas sobre o que é Design Thinking, entenda o conceito de uma vez por todas.


Tiago Magnus, autor deste artigo, atuou nos últimos 10 anos em projetos digitais, trabalhando com marcas como Lenovo, Carmen Steffens, Mormaii, VTEX, Carrefour, Centauro, entre outras, e como sócio de uma das principais agências digitais do Brasil. Hoje, é Diretor de Transformação Digital na ADVB e está à frente do TransformacaoDigital.com, empreendendo para democratizar o futuro.

10 Leis de Cialdini: Como aumentar suas vendas em até 8 vezes